Trabalho social da comunidade gay nas favelas

comunidad

As favelas são um dos maiores problemas sociais do Brasil, isto sempre existiu, as estruturas construídas de tijolo bruto em grande quantidade, se destacam amplamente com os edifícios modernos e a infra-estrutura da cidade.

O trabalho da comunidade para a comunidade

Isto ocorre em quase todas as grandes cidades do Brasil, demonstrando à primeira vista uma grande diferença social e econômica em todo o país, estas favelas são suficientemente grandes, para serem identificadas como pequenas cidades.

Segundo dados do Ministério das Cidades, cerca de 14 milhões de pessoas vivem nessas favelas, movimentando uma economia de cerca de 21 milhões de dólares por ano, mas os habitantes dessas favelas não gozam da proteção adequada do Estado.

Além disso, entende-se que nestas favelas, seus habitantes não têm acesso à educação, a um sistema de saúde estável ou mesmo ao transporte, prejudicando muitos habitantes e deixando-os numa situação de extrema pobreza e insegurança devido à criminalidade.

Particularmente a maioria da população das favelas é negra, representando mais de 80% dos habitantes das favelas, deve ser notado que o Brasil, um país cuja população de origem africana ultrapassa 50%, somente 10% ocupa posições importantes no Congresso.

Isto implica que, a população negra mal tem representação política no Brasil, estimulando o nascimento do partido Frente Favela Brasil, com a intenção de exercer representação adequada para a população negra e as favelas em todo o país.

Além disso, a intenção da criação deste partido é alcançar posições representativas no poder político do Brasil, a fim de trazer melhores direitos e infra-estrutura para as favelas, buscando uma transformação social e democrática feita por meios pacíficos.

comunidad

Comunidades Gays e favelas brasileiras

No caso das comunidades gays nas favelas, elas não gozam de direitos reais, embora certos benefícios para estas comunidades estejam estabelecidos na lei, a realidade social é muito diferente, já que nas favelas, devido à falta de acesso à educação, há mais assédio social de todos os tipos.

Isto inclui ataques e violência contra este tipo de pessoa, embora muitos habitantes das favelas aceitem e tolerem as comunidades LGBT, outro setor não é tão tolerante, não por razões religiosas ou políticas, mas simplesmente por causa do atraso social e da falta de educação e cultura.

Entretanto, com o tempo, as comunidades LGBT nas favelas vêm aumentando, assim como sua tolerância e respeito, pois o comportamento homofóbico tem sido classificado como um crime de ódio, contribuindo para o progresso e compreensão social.

Hoje, existem grupos pertencentes à comunidade gay que organizam trabalho social para colaborar com os habitantes das favelas mais desfavorecidas, já que a maioria deles não tem acesso à assistência médica, carece de transporte e não tem acesso à educação.

Os programas são simples, trata-se de levar medicamentos e livros para distribuir às pessoas envolvidas, entre outras ações estão o apoio médico e alguns programas educacionais para crianças.
Apesar de tudo isso, muitas pessoas pertencentes à comunidade gay continuam a receber ameaças de morte e agressões de grande violência nas ruas, fato muito comum nas favelas, onde o sangue é freqüentemente a política de muitos de seus habitantes e das autoridades.

A insegurança resultante tanto da criminalidade quanto da brutalidade policial tem representado uma grande barreira ao avanço social não só para a comunidade gay, mas para todos os habitantes que vivem nas favelas do Brasil.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *